fbpx
Escolha uma Página

Google Page Experience: entenda a nova atualização

Que o Google lança atualizações a todo momento, não é segredo para ninguém.

O Google Page Experience é uma delas! E é preciso ficar atento a ela se você não quer que o ranqueamento da sua página seja afetado!

Continue lendo o texto e entenda tudo sobre o assunto!

google-page-experience-filtro Google Page Experience: entenda a nova atualização

Google Page Experience: entenda a nova atualização do Google

Google Page Experience: o que é?

O Google está sempre inovando e buscando maneiras de entregar a melhor experiência possível ao usuário.

E o Google Page Experience é justamente sobre isso!

Ele chega como uma nova atualização prevista entre junho e agosto de 2021, e basicamente mede a percepção de um usuário ao interagir com um site. 

A princípio, ele será lançado primeiramente para dispositivos móveis, e posteriormente para desktop.

Nós sempre batemos na tecla sobre a importância de utilizar estratégias de SEO para otimizar o site da sua empresa e garantir um bom ranqueamento diante de tantos concorrentes.

Também já falamos diversas vezes por aqui sobre a questão da velocidade de carregamento, uso de palavras-chaves e conteúdos responsivos para o mobile.

Agora, a nova atualização do Google chega como um novo fator de ranqueamento e coloca em risco aqueles sites que não se adequarem às medidas de UX (User Experience).

Entenda o termo UX (User Experience)

Entenda-o-termo-UX-User-Experience-600x600 Google Page Experience: entenda a nova atualização

User Experience (UX) é um termo em inglês usado para definir toda a experiência do usuário com uma marca, produto ou serviço.

É importante lembrar que ele diz respeito desde o primeiro contato com a marca, até o pós-venda e a fidelização do cliente.

Toda essa jornada deve ser agradável, preparando esse visitante para o momento ideal de compra.

E claro, quanto melhor for a experiência do usuário, mais propenso ele se mostra a consumir de uma determinada empresa e recomendá-las para pessoas próximas a ele (a).

Ou seja, o usuário (ou cliente) deve ser o foco da atenção da marca, e entregar uma experiência inesquecível para aquele visitante.

Até porque sabemos que as pessoas não estão atrás apenas de um produto ou serviço, mas sim da solução que isso traz para vida delas.

Portanto, é fundamental conhecer o seu público-alvo e a sua persona, entender suas dores e o que ela deseja consumir, e então entregar isso da melhor maneira possível a ela.

Um exemplo clássico é quando o usuário acessa alguma página na web e aparece o aviso de “404 Error – page not found”.

É muito provável que ele não retorne o contato com essa empresa, já que a primeira experiência não foi muito agradável, não é mesmo?!

Agora que você já entendeu um pouco mais sobre UX, chegou a hora de entender de que maneira a nova atualização do Google funciona. Vamos lá?

Google Page Experience: como ele funciona?

Para avaliar a experiência do usuário na página, o Google utilizará o Core Web Vitals, um conjunto de métricas que analisa a experiência do usuário em seu site, além de outras orientações já existentes na plataforma.

Ele leva em consideração 3 quesitos:

  • Largest Contentful Paint (LCP), ou seja, a velocidade de carregamento da página;
  • First Input Delay (FID), que mede a interatividade (ele calcula quanto tempo demora para o usuário ter alguma resposta do site depois que ele executa a sua primeira ação);
  • Cumulative Layout Shift (CLS), que mede a estabilidade visual da página (aparecimento de pop up, gifs, etc; que dificultam o acesso ao conteúdo).

Além disso, o Google Page Experience também levará em consideração outras orientações já existentes na plataforma e que sempre falamos por aqui, como:

  • Conteúdos responsivos para o mobile; 
  • Safe-browsing (conteúdo seguros e apropriados para acesso);
  • Conexão segura e o Intrusive Interstitials (ou intersticiais intrusivos), que são o uso de banners ou pop-ups que atrapalham a visualização da página.

Google Page Experience: como ele afeta meu site?

Uma vez que ele é um novo fator importantíssimo de ranqueamento, é preciso ficar atento, pois a redução do tráfego orgânico significa menores chances de ser achado na web e, consequentemente, converter em vendas.

Sabendo disso, é importante se preparar prestando atenção em aspectos como:

  • Otimize a velocidade do seu site;

  • Reduza erros 404 – page not found;

  • Aprimore o design da página;

  • Entenda o que os seus concorrentes estão fazendo e tire lições do que funciona e do que não funciona tão bem assim.

E vale lembrar, sempre, que uma boa experiência ao usuário engloba entender o que ele deseja consumir e produzir os conteúdos voltados às necessidades da sua persona, entregando sempre as melhores informações, que sejam relevantes aos visitantes da página.

Sua empresa já está preparada para essa atualização?

Contar com profissionais especializados no assunto nunca foi tão importante! Precisando de ajuda, entre em contato com a gente!