Orçamentos
You.com chega ao mercado para rivalizar com o Google

You.com chega ao mercado para rivalizar com o Google

You.com chega ao mercado para rivalizar com o Google

Você já ouviu falar da You.com? Talvez não, mas os usuários da internet já conhecem diversas plataformas de busca, como o Yahoo, Bing, Ask, Aol, e assim por diante , mas, sem dúvida, a mais famosa delas é o Google, que, realmente, domina o mercado. Para se ter ideia, só em 2020, o Google deteve 86,64% do mercado de mecanismos de busca, gerando receitas de US$ 146,9 bilhões, segundo dados da Forbes.
No entanto, essa nova plataforma promete ser um nome de peso para  rivalizar com essa gigante. Talvez, daqui algum tempo, ao invés de dizer que vai dar um Google, você passe a dizer que fazer vai “dar um You.com”
Veja as novidades que esse novo buscador traz para os usuários, especialmente, com o apelo de centrar forças na privacidade.
O que é o You.com?
Com financiamento liderado por Marc Benioff, CEO da Salesforce, e outras empresas como Breyer Capital, Day One Ventures e outros negócios do Vale do Silício, o You.com se apresenta como o primeiro mecanismo de pesquisa aberto do mundo, não tem publicidade e está direcionada para a privacidade do usuário.
Para fornecer dados mais confiáveis, o You.com usa algoritmo baseado em Inteligência Artificial (Einstein), que usa um processamento de linguagem natural para entender melhor o que o usuário quer .
O primeiro diferencial do You.com é o design de interface, que traz a apresentação dos resultados da busca por cartões, em uma fileira de painéis horizontais, e não em uma lista vertical, como no Google. Nesta plataforma, os resultados são sempre apresentados em blocos e com imagem, agrupados por fontes.
Assim, os usuários podem criar um mecanismo de navegação personalizado baseado em suas fontes favoritas. Segundo os desenvolvedores, essa nova forma deve-se ao fato da percepção que as buscas dos usuários estão concentradas cada vez mais em um número menor de sites maiores.
Deixar essas buscas em cartões horizontais também é uma forma de facilitar o processo de encontrar a informação desejada.
Além disso, a partir da página de resultados, os usuários podem mover os painéis para cima ou para baixo, de acordo com a classificação que desejam.
Os resultados das pesquisas são extraídos de vídeos do Youtube ou das publicações de apps de redes sociais (Linkedin, Reddit, Tik Tok ou Twitter). Para os desenvolvedores da nova plataforma de busca, cada aplicativo é uma fatia e representa uma dimensão da internet.
Outro ponto bastante interessante é que os usuários podem dar um feedback positivos ou negativos sobre o resultado das pesquisas acionando o processo de  machine learning e possibilitando melhorar as próximas buscas, assim, coloca as decisões nas mãos dos usuários e não apenas da IA. 

Privacidade é o foco no You.com
Um dos grandes argumentos para atrair os usuários da You.com é nunca vender os dados para anunciantes ou seguir os usuários pela internet, isso significa que não armazena preferências, consultas ou locais. Para isso, oferece o “modo incógnito” , que é opcional. No modo de pesquisa normal, coleta dados para personalizar resultados, mas não direciona nenhum anúncio ao usuário.
Esse ponto é bastante importante para os desenvolvedores do You.com. Segundo entrevista ao Washington Post, o cofundador e presidente-executivo da Salesforce, Richard Socher, afirma que o Google está invadindo a privacidade para obter mais e mais desempenho, e não é isso que o You.com quer.
Ainda não se sabe como a plataforma vai ganhar dinheiro sem a publicidade, mas a iniciativa já recebeu um aporte inicial de US$ 20 milhões das empresas associadas. Segundo os gestores, a intenção é encontrar novos modelos de negócios  sem envolver o uso de dados para capitalizar. 
Funcionalidades estão sendo aprimoradas
Como ainda está em formato beta, a plataforma ainda está com muitas funcionalidades em desenvolvimento. Por enquanto, está priorizando a experiência web em desktop, mas a empresa já anunciou que está trabalhando no formato mobile.
Essa é uma medida interessante porque o resultado de pesquisas em cartões se mostra mais efetivo em telas maiores, dificultando um pouco a visualização em celulares.
Para quem está acostumado com os outros buscadores, essa nova forma pode ser ainda um pouco desafiadora, e vai exigir um pouco da mente adaptar-se a ela.
Apesar disso, quem quiser experimentar o You.com pode instalar a sua extensão do Chrome e defini-lo como o mecanismo de busca padrão em todos os navegadores mais populares.
You.com chega ao mercado para rivalizar com o Google

You.com chega ao mercado para rivalizar com o Google

Você já ouviu falar da You.com? Talvez não, mas os usuários da internet já conhecem diversas plataformas de busca, como o Yahoo, Bing, Ask, Aol, e assim por diante , mas, sem dúvida, a mais famosa delas é o Google, que, realmente, domina o mercado. Para se ter ideia, só em 2020, o Google deteve 86,64% do mercado de mecanismos de busca, gerando receitas de US$ 146,9 bilhões, segundo dados da Forbes.

No entanto, essa nova plataforma promete ser um nome de peso para  rivalizar com essa gigante. Talvez, daqui algum tempo, ao invés de dizer que vai dar um Google, você passe a dizer que fazer vai “dar um You.com”

Veja as novidades que esse novo buscador traz para os usuários, especialmente, com o apelo de centrar forças na privacidade.

O que é o You.com?

Com financiamento liderado por Marc Benioff, CEO da Salesforce, e outras empresas como Breyer Capital, Day One Ventures e outros negócios do Vale do Silício, o You.com se apresenta como o primeiro mecanismo de pesquisa aberto do mundo, não tem publicidade e está direcionada para a privacidade do usuário.

Para fornecer dados mais confiáveis, o You.com usa algoritmo baseado em Inteligência Artificial (Einstein), que usa um processamento de linguagem natural para entender melhor o que o usuário quer .

O primeiro diferencial do You.com é o design de interface, que traz a apresentação dos resultados da busca por cartões, em uma fileira de painéis horizontais, e não em uma lista vertical, como no Google. Nesta plataforma, os resultados são sempre apresentados em blocos e com imagem, agrupados por fontes.

Assim, os usuários podem criar um mecanismo de navegação personalizado baseado em suas fontes favoritas. Segundo os desenvolvedores, essa nova forma deve-se ao fato da percepção que as buscas dos usuários estão concentradas cada vez mais em um número menor de sites maiores.

Deixar essas buscas em cartões horizontais também é uma forma de facilitar o processo de encontrar a informação desejada.

Além disso, a partir da página de resultados, os usuários podem mover os painéis para cima ou para baixo, de acordo com a classificação que desejam.

Os resultados das pesquisas são extraídos de vídeos do Youtube ou das publicações de apps de redes sociais (Linkedin, Reddit, Tik Tok ou Twitter). Para os desenvolvedores da nova plataforma de busca, cada aplicativo é uma fatia e representa uma dimensão da internet.

Outro ponto bastante interessante é que os usuários podem dar um feedback positivos ou negativos sobre o resultado das pesquisas acionando o processo de  machine learning e possibilitando melhorar as próximas buscas, assim, coloca as decisões nas mãos dos usuários e não apenas da IA.

You.com chega ao mercado para rivalizar com o Google



Você já ouviu falar da You.com? Talvez não, mas os usuários da internet já conhecem diversas plataformas de busca, como o Yahoo, Bing, Ask, Aol, e assim por diante , mas, sem dúvida, a mais famosa delas é o Google, que, realmente, domina o mercado. Para se ter ideia, só em 2020, o Google deteve 86,64% do mercado de mecanismos de busca, gerando receitas de US$ 146,9 bilhões, segundo dados da Forbes.
No entanto, essa nova plataforma promete ser um nome de peso para  rivalizar com essa gigante. Talvez, daqui algum tempo, ao invés de dizer que vai dar um Google, você passe a dizer que fazer vai “dar um You.com”
Veja as novidades que esse novo buscador traz para os usuários, especialmente, com o apelo de centrar forças na privacidade.
O que é o You.com?
Com financiamento liderado por Marc Benioff, CEO da Salesforce, e outras empresas como Breyer Capital, Day One Ventures e outros negócios do Vale do Silício, o You.com se apresenta como o primeiro mecanismo de pesquisa aberto do mundo, não tem publicidade e está direcionada para a privacidade do usuário.
Para fornecer dados mais confiáveis, o You.com usa algoritmo baseado em Inteligência Artificial (Einstein), que usa um processamento de linguagem natural para entender melhor o que o usuário quer .
O primeiro diferencial do You.com é o design de interface, que traz a apresentação dos resultados da busca por cartões, em uma fileira de painéis horizontais, e não em uma lista vertical, como no Google. Nesta plataforma, os resultados são sempre apresentados em blocos e com imagem, agrupados por fontes.
Assim, os usuários podem criar um mecanismo de navegação personalizado baseado em suas fontes favoritas. Segundo os desenvolvedores, essa nova forma deve-se ao fato da percepção que as buscas dos usuários estão concentradas cada vez mais em um número menor de sites maiores.
Deixar essas buscas em cartões horizontais também é uma forma de facilitar o processo de encontrar a informação desejada.
Além disso, a partir da página de resultados, os usuários podem mover os painéis para cima ou para baixo, de acordo com a classificação que desejam.
Os resultados das pesquisas são extraídos de vídeos do Youtube ou das publicações de apps de redes sociais (Linkedin, Reddit, Tik Tok ou Twitter). Para os desenvolvedores da nova plataforma de busca, cada aplicativo é uma fatia e representa uma dimensão da internet.
Outro ponto bastante interessante é que os usuários podem dar um feedback positivos ou negativos sobre o resultado das pesquisas acionando o processo de  machine learning e possibilitando melhorar as próximas buscas, assim, coloca as decisões nas mãos dos usuários e não apenas da IA. 

Privacidade é o foco no You.com
Um dos grandes argumentos para atrair os usuários da You.com é nunca vender os dados para anunciantes ou seguir os usuários pela internet, isso significa que não armazena preferências, consultas ou locais. Para isso, oferece o “modo incógnito” , que é opcional. No modo de pesquisa normal, coleta dados para personalizar resultados, mas não direciona nenhum anúncio ao usuário.
Esse ponto é bastante importante para os desenvolvedores do You.com. Segundo entrevista ao Washington Post, o cofundador e presidente-executivo da Salesforce, Richard Socher, afirma que o Google está invadindo a privacidade para obter mais e mais desempenho, e não é isso que o You.com quer.
Ainda não se sabe como a plataforma vai ganhar dinheiro sem a publicidade, mas a iniciativa já recebeu um aporte inicial de US$ 20 milhões das empresas associadas. Segundo os gestores, a intenção é encontrar novos modelos de negócios  sem envolver o uso de dados para capitalizar. 
Funcionalidades estão sendo aprimoradas
Como ainda está em formato beta, a plataforma ainda está com muitas funcionalidades em desenvolvimento. Por enquanto, está priorizando a experiência web em desktop, mas a empresa já anunciou que está trabalhando no formato mobile.
Essa é uma medida interessante porque o resultado de pesquisas em cartões se mostra mais efetivo em telas maiores, dificultando um pouco a visualização em celulares.
Para quem está acostumado com os outros buscadores, essa nova forma pode ser ainda um pouco desafiadora, e vai exigir um pouco da mente adaptar-se a ela.
Apesar disso, quem quiser experimentar o You.com pode instalar a sua extensão do Chrome e defini-lo como o mecanismo de busca padrão em todos os navegadores mais populares.
You.com chega ao mercado para rivalizar com o Google

Privacidade é o foco no You.com

Um dos grandes argumentos para atrair os usuários da You.com é nunca vender os dados para anunciantes ou seguir os usuários pela internet, isso significa que não armazena preferências, consultas ou locais. Para isso, oferece o “modo incógnito” , que é opcional. No modo de pesquisa normal, coleta dados para personalizar resultados, mas não direciona nenhum anúncio ao usuário.

Esse ponto é bastante importante para os desenvolvedores do You.com. Segundo entrevista ao Washington Post, o cofundador e presidente-executivo da Salesforce, Richard Socher, afirma que o Google está invadindo a privacidade para obter mais e mais desempenho, e não é isso que o You.com quer.

Ainda não se sabe como a plataforma vai ganhar dinheiro sem a publicidade, mas a iniciativa já recebeu um aporte inicial de US$ 20 milhões das empresas associadas. Segundo os gestores, a intenção é encontrar novos modelos de negócios  sem envolver o uso de dados para capitalizar. 

Funcionalidades estão sendo aprimoradas

Como ainda está em formato beta, a plataforma ainda está com muitas funcionalidades em desenvolvimento. Por enquanto, está priorizando a experiência web em desktop, mas a empresa já anunciou que está trabalhando no formato mobile.

Essa é uma medida interessante porque o resultado de pesquisas em cartões se mostra mais efetivo em telas maiores, dificultando um pouco a visualização em celulares.

Para quem está acostumado com os outros buscadores, essa nova forma pode ser ainda um pouco desafiadora, e vai exigir um pouco da mente adaptar-se a ela.

Apesar disso, quem quiser experimentar o You.com pode instalar a sua extensão do Chrome e defini-lo como o mecanismo de busca padrão em todos os navegadores mais populares.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por dentro da
@grupos2mktdigital

Receba
novidades

Siga-nos
Parceiro Gold RD Station
Certificado em Inbound Marketing - RD Station
Certificados RD Station

GS2 Marketing Digital +55 (12) 99660-9367

2021- todos os direitos reservados 
menuchevron-down linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram