Como-utilizar-a-Inteligência-Artificial-no-Marketing-Digital Como utilizar a Inteligência Artificial no Marketing Digital?

Como utilizar a Inteligência Artificial no Marketing Digital?

Vocês sabiam que em 2020, 85% das empresas estarão usando a inteligência artificial no dia a dia? Esses dados foram apresentados por Marlon Kotai, customer engineer do Google Cloud, na palestra “AI: Os Desafios da Inteligência Artificial na Nova Economia”, no Digitalks 2018, em São Paulo, onde estive semana passada.

E hoje eu vou dividir com vocês esse assunto que tem sido foco do meu interesse nos últimos meses. Por sinal, as palestras apresentadas no evento  afirmaram que essa é a tendência dos próximos anos e que profissionais de diversas áreas estão de olho no assunto.

Na palestra, de Marcelo Sousa, presidente da ABRADi (Associação Brasileira de Agentes Digitais), consegui visualizar aplicações práticas da Inteligência Artificial no dia a dia do marketing e as vantagens que esse futuro próximo reserva a nós profissionais da área.

A primeira vantagem irrefutável é que o uso desta ferramenta no cotidiano vai possibilitar muito mais tempo nas funções estratégicas – e todo mundo que trabalha com marketing digital sabe como é importante ter tempo para montar estratégias. As tarefas operacionais serão, de fato, substituídas pela Inteligência Artificial.

Mas antes, seria bacana saber:

O que é a Inteligência Artificial?

Há uns bons anos, para ser mais precisa, em 2001, muita gente viu o filme incrível de Steven Spielberg “AI”, no qual robôs assumiam inteligência e sentimentos humanos, mas ainda eram tratados como máquinas frias, e descartadas como tal. O drama era intenso e muitos de nós torceram muito pelos robozinhos injustiçados.

O uso da Inteligência Artificial, no momento presente, está bem longe de “transformar” máquinas em homens, mas suas funções já são impressionantemente úteis no nosso dia a dia, especialmente no campo corporativo.

Longe dos filmes, sabemos que a Inteligência Artificial é a inteligência similiar à humana apresentada por mecanismos ou softwares.

Mas isso não é novo. Na verdade, o conceito existe há muito tempo, agora o que se vê é uma colocação mais prática do conceito.

Para se ter ideia, a palavra “agente inteligente”, dirigido a uma máquina, surgiu em 1956 por John McCarthy em uma conferência no Darmouth College, nos Estados Unidos.

A executiva, consultora e autora na área de inovação e negócios, e uma das pensadoras digitais mais influentes da atualidade, Martha Gabriel, reforça que de fato, os esquemas de redes neurais aplicados para imitar o pensamento humano existe em teoria há tempos, mas o que não permitia que a Inteligência Artificial desse saltos mais altos era que não haviam processadores que dessem conta da aplicação prática disso.

Para Martha, a Inteligência Artificial associada a IoT (Internet of Things), Big Data, Robótica e Nanotecnologia é um dos pilares estruturais da transformação tecnológica no mundo.

Segundo ela, essa transformação já está acontecendo agora. Atualmente, já temos à disposição um nível de Inteligência Artificial evoluindo bastante com o deep learning, que é o que está por trás dos assistentes digitais.

Martha conta que a Inteligência Artificial, atualmente, está extremamente especializada em alguma atividade, e já consegue bater os humanos, como por exemplo, ganhar xadrez do campeão mundial Garry Kasparov, ou até mesmo fazer reconhecimento de imagem de forma muito melhor que os humanos.

No marketing digital, ela afirma, que só o recurso vai potencializar o setor, porque dá para usar com chatbots melhores, assistentes, como análise de comportamento de público e fazer muito mais melhorias de resultados. O uso de AI no marketing começa a ganhar novas possibilidades e tende a evoluir

Aliás, precisamos ir além dos assistentes e chatbots, AI é muito mais que isso e novas formas de utilizar já estão sendo implementadas em diversos setores. Acredito que seja exatamente pelo enorme campo de utilização que por vezes seja difícil fazer uma imagem clara de como utilizar os recursos de Inteligência Artificial no dia a dia.

Seis práticas possíveis com Inteligência Artificial

Vamos conferir algumas possibilidades da Inteligência Artificial, segundo Marcelo Sousa, presidente da ABRADi:

1) Mudanças na segmentação das campanhas

Atualmente, usamos muito as segmentações por dados cadastrais (idade, classe social, sexo, preferências, etc) e segmentações demográficas.

Com a Inteligência Artificial, as segmentações serão muito mais comportamentais. Um exemplo da palestra do presidente da ABRADi: campanha para pessoas de 63 anos, público AAA e que gosta de carros esportivos. É restrito não é? Mas nem tanto. Vamos ver?

Dentro desta parcela, vamos ter Bill Gates, mas também teremos o Mr. Bean. São duas abordagens muito diferentes, concorda?

0?e=1542240000&v=beta&t=4XTDPS-ozZAugJ8D-FwthsvGwPQCrPmW2KjsR2OrdNg Como utilizar a Inteligência Artificial no Marketing Digital?
0?e=1542240000&v=beta&t=rhkO7IgaloShdlCQQASRIDSauU-24EaoNKnyLlDn7EM Como utilizar a Inteligência Artificial no Marketing Digital?

Mas com a Inteligência Artificial, facilmente eles serão identificados como públicos bem diferentes, e estratégias bem mais assertivas poderão ser desenhadas com esses dados.

2) Interpretação de imagem

Com os avanços da Inteligência Artificial, essa interpretação será transformada em dados do consumidor. E isso pode alavancar a precisão do monitoramento nas redes sociais.

Vamos conseguir monitorar, por exemplo,  o que as pessoas estão mostrando nas suas fotos e não só o que elas escrevem. Por exemplo, saberemos quando uma pessoa mostra uma foto com um produto da Coca-Cola em alguma parte da imagem.

Para as marcas, isso será incrível porque vai além do monitoramento apenas do que está escrito nas redes sociais que é feito hoje em dia, será possível monitorar o que é mostrado também.

3) Mídia Programática

Teremos uma mídia programática bem mais efetiva, porque com a Inteligência Artificial, dá para segmentar o seu público de acordo com o seu comportamento. Com isso, os dados oferecidos vão favorecer um mídia preditiva.

Vamos citar, por exemplo, uma empresa que vende vinho. Com AI será possível prever que uma  pessoa com tais e tais características, tende a gostar de vinho pela amostragem do seu comportamento, mesmo que ela nunca tenha comprado vinho, produtos similares ou visitado sites relacionados ao assunto.

Com AI essa pessoa poderá ser impactada, esse será o marketing preditivo, que conseguirá prever o comportamento das pessoas.

Citei o vinho aqui, mas poderia ser qualquer outro produto ou serviço, o fantástico é a possibilidade de prever o comportamento de uma determinada pessoa antes mesmo dela.

4) Geração automática de conteúdo

Fora do Brasil, essa prática  da geração automática de conteúdo já vem sendo realizada, mas nós ainda temos a barreira do idioma para usar essa facilidade no nosso marketing .

Nos Estados Unidos, algumas empresas já revelaram fazer uso da facilidade, como ESPN e Yahoo, como foi citado na palestra, essas empresas afirmam já ter produzido milhares de conteúdos por meio de Inteligência Artificial. E, por lá, ninguém percebeu nada mecanizado nos textos, a linguagem ficou muito natural.

Mas é claro que não dá para ser utilizado para conteúdos profundos e artigos muito técnicos (ainda), mas já está funcionando muito bem.

Como-utilizar-a-Inteligência-Artificial-no-Marketing-Digital-3 Como utilizar a Inteligência Artificial no Marketing Digital?

5) Personalização de mensagens

A  Inteligência Artificial vai aprender a elaborar a mensagem perfeita para cada lead e não para um grupo de pessoas. Praticamente um sonho para nós, marqueteiros digitais!

Para um determinado lead, a AI vai saber qual é o melhor título, quais as melhores palavras para atraí-lo, ou seja, a mensagem perfeita para cada futuro cliente, de forma totalmente individualizada, personalizada. Não será conversa com nicho, mas com cada pessoa, realmente.

É quase uma conversa cara a cara. E isso é justamente o que ainda não conseguimos fazer, porque existem muitas variáveis na relação com cada pessoa, como no exemplo de Bill Gates e Mr. Bean, de uma certa forma mesmo target para um determinado produto, mas pessoas tão diferentes que precisam de abordagens diferentes.  Assim como eles quantas outras pessoas interessadas nesse produto que não conseguiríamos determinar nem com um ótimo estudo de persona.

6) Gerenciamento do ciclo de vida do cliente

Quando o cliente faz uma compra, o marketing digital ainda não sabe qual o produto seguinte a ser oferecido para ele. É claro que podemos fazer isso hoje em dia, analisando jornada de compra, etc. Se a pessoa comprou isso vou oferecer isso. Mas com a Inteligência Artificial será possível fazer um marketing preditivo com um grau de acerto e personalização muitíssimo maior e não só se ele comprou raquete vou oferecer bolinha.

Será uma facilidade para a AI saber como o cliente compra, quando ele compra, como abordá-lo e o que oferecer. Dá para prever os seus próximos passos de compra de forma muito individualizada.

Na verdade, antes mesmo da própria pessoa, a AI vai saber qual será o seu próximo passo de consumo.

Isso sem contar a parte de qualificação do lead, porque com esses dados preditivos, será muito mais eficiente a entrega de leads mais quentes para time de vendas.

Atualmente, é possível qualificar os leads, mas com a AI, essa ação poderá ser feita em escala, de forma muito mais barata e mais assertiva.

Esse é um dos casos de trabalho operacional que será repassado à Inteligência Artificial, a qualificação de leads. O vendedor ficará mais livre para fazer o que sabe, que é fechar a venda.

Desafio para o varejo

O grande desafio será conseguir entregar essa personalização da informação para o varejo e fazer a integração da loja física, por exemplo, para que o vendedor possa oferecer seus produtos aos clientes com informações colhidas em todas as ações das pessoas na internet.

Marketing mix model

Nas campanhas de marketing, sempre é preciso dividir a verba entre vários canais de divulgação. Isso pode ser desafiador.

E neste ponto temos outra vantagem da Inteligência Artificial, que vai conseguir distribuir melhor o orçamento entre os diversos canais  para que as campanhas sejam mais eficazes.

Ou seja, é o objetivo da Inteligência Artificial no marketing: ciência na decisão.

Mas antes que todos se desesperem, achando que todos vamos ficar sem empregos, acalmem-se! A Inteligência Artificial só vai melhorar o que já fazemos bem de forma manual, vai nos possibilitar ser mais criativos e estratégicos.

Oportunidade

O que pude perceber é que em um futuro muito próximo, talvez nem seja futuro, já seja realidade, profissionais que atuam nessa área sejam muito requisitados. Então se você está procurando uma área para se especializar vá em frente, AI já é uma demanda presente!!!