A-importância-das-tags-para-SEO-01 A importância das tags para SEO

Entenda a importância das tags para SEO

Se o seu objetivo é melhorar a visibilidade do seu site e aumentar o tráfego, a dica é procurar uma estratégia abrangente e criteriosa de SEO.

Embora as táticas off-page, como o link building, ainda sejam indicadas, o SEO é de grande importância na busca semântica, que utiliza diversas fontes para realizar uma busca, não só as palavras secundárias.

Não basta apenas ter autoridade, para os mecanismos de busca a qualidade do conteúdo também faz diferença. A estrutura, a relevância e a experiência do usuário conta pontos para o sucesso dos resultados.

Que tal investigar um pouco a tags e suas importâncias para o SEO?

Tags geram novos debates

Antes, as tags realmente produziam um impacto significativo para os rankings. Já atualmente vem despertando alguns debates. Já existem tags ultrapassadas? Quais serão sempre de fundamental importância?

Mas para isso é preciso entender o papel de cada tag e avaliar se o seu uso vai gerar facilidades de resultados para a pesquisa.

Sejam essas meta tags com atributos title e description, ou até outras tags classificando ou organizando o conteúdo, de forma a gerar pontos de destaque no conteúdo em níveis hierárquicos, a forma como usamos as tags e o seu impacto nos ranking está mudando ao longo do tempo.

Isso porque os mecanismos de busca se tornaram mais inteligentes, fazendo muito mais conexão entre a leitura e interpretação de dados. Assim, só usar tags de maneira manipulativa já é uma tática ultrapassada.

Mas isso não significa que o uso das tags está morto. Muito pelo contrário, está bem vivo, mas entraram novas tags e maneiras de organizar os dados, que geraram uma nova abordagem.

Vamos ver algumas possibilidades!

Tag do título

Essa tag pertence à seção <head>, que especifica o título de uma página da web. Normalmente aparece como um título clicável nas SERPs (Páginas de Resultados dos Mecanismos de Buscas), redes sociais e nos navegadores.

As tags de título fornecem uma ideia mais clara e abrangente do conteúdo da página. Mas só elas não produzem um impacto significativo no ranking. Nos mecanismos de busca do Google os títulos otimizados e bem escrito e as classificações mais altas ainda caminham juntos.

Mas nos últimos anos, os fatores de comportamento dos usuários estavam sendo discutidos como principal elemento de relevância, e um sinal de classificação para o Google.

Se formos pensar, o título da página ainda é a primeira coisa que um usuário vai identificar nos resultados de sua pesquisa e só isso já pode estimulá-lo a entender que aquele título corresponde à sua dúvida.

Então, podemos considerar com certeza que um bom título pode aumentar sim o número de cliques e tráfego de um conteúdo.

E isso certamente vai gerar algum impacto nos rankings! Mas é bom ficar atento porque o Google também já não precisa mais da sua tag de título para incluir uma palavra-chave de correspondência exata para entender o que a página aborda.

Os mecanismos de busca estão ficando muito mais eficientes na leitura e  no entendimento do conteúdo e contexto.

Agora levam também em conta uma imagem mais abrangente e estão inclinados a avaliar o conteúdo da página como um todo. Já ouviu aquela história que a capa de um livro pode ajudar a vende-lo?

Então, siga essas dicas para atender às melhores práticas do SEO:

  • Faça um bom título, chamativo e forte que descreva o conteúdo da página de forma objetiva
  • Mantenha os títulos entre 50 a 60 caracteres (para que não fiquem truncados)
  • Coloque palavras-chave significativas primeiro, mas de uma maneira natural. Os títulos devem ser escrito para seus visitantes, e não só para o Google.
  • Faça uso de sua marca em títulos

Meta Descrição

A Meta Description é outro parágrafo do texto que também é colocado no <head> de uma página da web, normalmente exibido em um snippet da SERP junto com um título e uma URL da página.

O objetivo é transmitir ao visitante a essência do conteúdo, com alguns detalhes a mais sobre o contexto.  

Podemos considerar que também é um fator essencial de classificação, porque tem a oportunidade de realizar um convite perfeito para o visitante entrar em sua página, a partir da promessa de solução clara e abrangente para o problema dele.

Uma boa Meta Description pode afetar sim a quantidade de cliques que sua página recebe, além de poder melhorar a sua CTR e diminuir as taxas de rejeição. Isso se o conteúdo realmente cumprir suas promessas, ou seja, se a Meta Description for realista e convidativa.

Você pode fazer a Meta Description no tamanho que quiser, mas o Google apresenta apenas espaço aceitável de cerca de 160 caracteres. Realmente parece um tanto difícil apresentar só ali a resposta para todas as perguntas dos visitantes.

Então, fique atento às melhores práticas:

  • Dê a cada página uma meta descrição que seja clara ao valor do conteúdo.
  • Lembre-se que os snippets do Google têm no máximo 160 caracteres para preencher a Meta Descrição.
  • Inclua palavras-chaves importantes mas sem excessos. Lembre de novo: você escreve para as pessoas, e não para o robozinho do Google.
  • Se quiser, pode usar uma call-to-action  chamativo, com uma proposta única ou dicas adicionais, por exemplo
  • Tags de cabeçalho

Tags de cabeçalho são tags HTML usadas para identificar cabeçalhos e subtítulos em seu conteúdo de outros tipos de texto.

A hierarquia vai do H1 ao H6 com um sentido de hierarquia. Ou seja, a H1 é o título do cabeçalho da página e tag mais proeminente que  mostra a página.

Já de H2 em diante, são tags opcionais e não são consideradas importantes para os mecanismos de busca, vão organizar – e muito– o conteúdo de uma maneira que proporcione uma arquitetura do texto, para uma maneira mais fácil de navegar.

Mas o uso da H1 da maneira correta tem sido muito ressaltado como um elemento importante para bom posicionamento no ranking, classificação otimizada e melhoria de tráfego.

Ou seja, para os mecanismos de busca, é muito mais fácil ler e entender um conteúdo bem organizado com a H1; e para os usuários, os títulos e subtítulos são como âncoras em blocos de texto, facilitando a digestão do conteúdo.

Considere alguns elementos para melhorar de acordo com as melhores práticas do SEO utilizando as tags de título:

  • Dê a cada página um H1 único, usando palavras-chaves primárias;
  • Use as tags H2 a H6 usando palavras secundárias. Mas aqui só um toque de amigo: em muitos conteúdos não é necessário passar da H3.
  • Não abuse das tags e das palavras-chaves nelas. É preciso estar legível para os usuários.

Tags em itálico ou negrito

Tags em itálico ou negrito podem ser utilizadas para destacar certas partes do contexto e para acrescentar uma ênfase semântica.

Mas é correto dizer que os robôs não estão muito preocupados com isso. Por outro lado, podem melhorar sim a legibilidade e experiência do usuário, mesmo sem serem essenciais.

Então, siga essas dicas:

  • Use apenas quando fizer sentido, evite o excesso dessas tags.
  • Digitalize uma parte do conteúdo para ter certeza que não está sobrecarregada de negritos e itálicos, que vão tirar o conforto da leitura.

Tags meta palavra-chave

No começo dos processos da otimização, as meta-palavras-chave eram pequenos trechos de textos visíveis apenas no código.

Com o tempo, o uso tornou-se banalizado, terreno fértil para spam, ao invés de otimizar.

Saiba que agora o Google ignora as meta-palavras-chave, e não dá a elas nenhum crédito nos rankings. Ou seja, são totalmente obsoletas.

Atributos Alt da Imagem

Importantes em termos de otimização, os atributos Alt da imagem são adicionais a alguma tag de imagem para descrever seu conteúdo.

Servem para fornecer contexto já que os mecanismos de pesquisa não podem “ver” imagens.

Para o Google, os atributos alt da imagem ajudam os mecanismos de busca a entenderem o que são imagens e como se relacionam com o conteúdo.

Ou seja, uma descrição clara e relevante aumenta as chances de aparecer entre os resultados de imagem do Google.

Siga as dicas:

  • Faça o possível para otimizar as imagens mais significativas (produtos, infográficos ou imagens de treinamento);
  • Adicione texto alternativo em páginas que não tiverem muito conteúdo, além das imagens;
  • Mantenha o texto Alt claro e descritivo o suficiente, utilizando palavras-chave encaixadas de forma natural.

Atributos Nofollow

Os links externos são aqueles em seu site que apontam para outros sites. São usados para se referir a fontes confiáveis ou direcionar para outros recursos úteis.

Então perceba que eles são muito importantes para o SEO, porque podem demonstrar que o seu conteúdo é uma peça abrangente feita à mão.

Perceba que o Google realmente abomina qualquer tática de vinculação manipulativa. Esses atributos podem fazer o robô entender melhor o contexto da sua página.

Por padrão, todos os hiperlinks são dofollow, e quando você coloca um link do dofollow em seu site, está lançando um voto de confiança para a página vinculada.

Quando você acrescenta um atributo nofollow a um link, ele instrui os mecanismos bots dos mecanismos de pesquisa não seguirem o link. Mantendo seu SEO limpo, você preservaria um equilíbrio saudável entre os links follow e nofollow em suas páginas.

Considere os seguintes tipos de links para nofollow:

  • Links para quaisquer recursos que possam ser considerados não confiáveis;
  • Qualquer link pago e patrocinado;
  • Links de comentário ou outros gerados pelo usuário, que podem sair do seu controle;
  • Os links internos “Fazer Login” e “Registrar” seguem, o que é apenas um desperdício de orçamento e rastreamento.

Tag do meta dos robôs

Uma meta tag robots de nível de página com atributo content+= “noindex” instrui os mecanismos de pesquisa a não indexarem uma determinada página.

Um atributo nofollow instruir a não seguir nenhum link nessa página.

Embora essas páginas não se relacionam diretamente com os rankins, podem ter impacto na aparência geral do site.

Por qualquer motivo, você pode querer que certas páginas fiquem de fora das SERPs. Nestes casos, o Google recomenda fechar páginas de resultados personalizados, que podem ser rastreamento indefinidamente e gerar desperdício de bots em nenhum conteúdo exclusivo.

Por isso, em alguns casos as tags noindex e nofollow ajudam muito, porque oferecem mais controle sobre o site, visto pelos mecanismos de pesquisa.

Para seguir as melhores práticas:

  • Feche páginas desnecessárias ou inacabadas (como rascunhos), que tenham pouco valor e nenhuma intenção de aparecer nas buscas;
  • Feche as páginas que desperdiçam recursos de orçamento de rastreamento;
  • Certifique-se de não restringir, por engano, páginas importantes da indexação.

Tag de Link Rel = “canonical”

A tag de link Rel= “canonical” é uma forma de dizer aos mecanismos de pesquisa qual versão de uma página você considerada a principal.

Essa é página que você gostaria de ser indexada pelos mecanismos de busca e que será encontrada pelas pessoas.

Normalmente é usada em casos em que a mesma página está disponível em várias URLs ou páginas diferentes com conteúdos muito semelhantes.

Não podemos dizer que o conteúdo interno duplicado é tratado como conteúdo copiado, porque normalmente não há uma intenção manipulativa nisso.

Mas isso pode ser tornar uma confusão para os mecanismos de busca, a menos que você indique qual URL é a que prefere classificar, caso não o faça os mecanismos podem escolhê-la  para você.

Isso significa que a URL selecionada será rastreada com mais frequência, enquanto as outras são deixadas para trás.

Não há risco de penalidades por isso, mas não é uma situação ideal.

Canonicalizar uma página também facilita o acompanhamento das estatísticas de desempenho associadas ao conteúdo.

Usar um rel=canonical ajuda o Google a consolidar seus esforços em uma só direção.

Você deve canonicalizar as seguintes páginas:

  • Páginas com conteúdo semelhante sobre o mesmo assunto;
  • Páginas duplicadas disponíveis em vários URLs;
  • Versõs da mesma com IDs de sessão ou outros parâmetros de URL que não afetam o conteúdo.

Marcação de Esquema (dados estruturados)

Esse é um vocabulário de marcação compartilhado reconhecido pelos mecanismos de pesquisa, que permite que você organize os dados de uma maneira lógica via html.

Uma “web semântica” é uma “web significativa”, em que o foco muda de instâncias de palavras-chave e de backlinks para conceitos subjacentes e relacionamentos com esses conceitos.

A marcação de dados estruturados é exatamente o que ajuda os mecanismos de pesquisa a não lerem apenas o conteúdo, mas também entender como certas palavras se relacionam.

As SERPs estão tão evoluídas que você nem precisa clicar nos resultados para obter uma resposta para sua pesquisa.

Se você juntar uma boa imagem ou foto com um snippet rico, que podem ser uma classificação de 5 estrelas, faixa de preço especificada, status de estoque, horas  de operação ou o que mais que for útil e atraente para o seu consumidor, é muito mais provável que vá chamar mais atenção e atrair mais cliques do que com um texto simples.

E os fatores de comportamento do usuário, como CTR e taxa de rejeição, somam-se também a como os mecanismos de pesquisa decidem classificar seu site.

Procure seguir essas dicas:

  • Estude os esquemas disponíveis no schema.org;
  • Crie um mapa de suas páginas mais importantes e decida sobre os conceitos mais relevantes para cada uma;
  • Implemente a marcação com cuidado (pode até usar assistente de marcação de dados estruturados);
  • Teste cuidadosamente a marcação para garantir que ela não  seja enganosa ou acrescentada incorretamente.

Meta tags de mídia social

O Open Graph foi introduzido pelo Facebook para permitir que você faça o controle de como uma página ficaria quando compartilhada nas mídias sociais.

Agora também é reconhecido pelo Google+ e pelo Linkedin. Já o Twiter tem seus próprios cartões exclusivos.

Ao usar essas meta tags de mídia social, você vai fornecer um pouco mais de informações sobre sua página para as redes sociais.

Não é essencial, mas ao melhorar a aparência, você torna a página compartilhada mais profissional e convidativa para os cliques.

Siga essas dicas para melhorar a aparência de sua página:

  • Adicione meta dados básicos e relevantes usando o protocolo Open Graph e teste as URLs para ver como serão exibidas;
  • Configure os cartões do Twitter e valide-os.

Tag meta do Viewport

A meta do Viewport permite que você configure como uma página será dimensionada e exibida em qualquer dispositivo, seja no mobile ou desktop.

Normalmente fica assim:

<meta name = “viewport” content = “largura = largura do dispositivo, escala = 1”>

Na qual “width= device-width” vai fazer a página corresponder à largura da tela em pixels independente de um dispositivo.

E “initial scale = 1” vai estabelecer uma relação de 1:1 entre pixels CSS e pixels independentes de dispositivo, levando em consideração a orientação da tela.

A meta tag do Viewport não tem nada a ver com os rankings, mas tem a ver com a experiência do usuário.

Para reforçar sobre as tags

Considere que algumas tags ainda são obrigatórias, porque vão compor a taxonomia da página. Já outras não são obrigatórias, mas pode colocar seu site em um posicionamento bem melhor perante os concorrentes.

Não negligencie os ajustes necessários para a sua estratégia do SEO.

As pequenas mudanças com as tags podem melhorar a experiência do usuário e ajudar os mecanismos de busca a entenderem melhor o seu site. Com isso, você melhora sua autoridade e também agrada o usuário, ou seja, são ajustes que farão diferença a longo prazo.

 

A-importância-das-tags-para-SEO A importância das tags para SEO

Se quiser conversar mais sobre esse tema é só me chamar, Rodrigo Sanchez.